Diário de Au Pair: Perdi o trem, quatro vezes!

Esse intercâmbio é uma coisa muito louca, ele dá oportunidades incríveis, que chegam a ser maiores do que muitas das coisas com as quais já sonhei, mas ele também trás muitos obstáculos. Talvez para fazer a chegada valer a pena, talvez pra nos fazer dar mais valor às coisas, ou talvez a vida só quer jogar na nossa cara mesmo que nada é fácil.

Esse fim de semana, como contei em post passados, foi o show do The Chainsmokers em NY, e como voltar pra casa no meio da noite não rola, pelo simples fato de não ter trens noturnos para a minha cidade, eu fui pra casa das minhas amigas em Long Island.

Foi muito legal, deu pra curtir a praia e o sol, botar a conversa em dia e etc. Mas a hora de voltar sempre chega e eu odeio. Não porque tenho que voltar pra casa, mas porque vocês não fazem ideia do trampo que é isso!

São três trens, duas baldeações e horários totalmente diferentes, se você perder um , já era! O próximo só chega daqui há uma hora.

Mas pra chegar até a estação precisa pedir um Uber ou um táxi. Em Long Island o taxista cobra a quantidade de pessoas no carro então normalmente pedimos Uber. “Ahh de boa, Uber chega rapidinho”. Não amigo, não nos Etados Unidos da América.

Eu tive que cancelar o primeiro Uber que pedi porque ele não ia chegar a tempo de pegar o trem, esperei então ficar mais próximo do horário do trem pra fazer o mesmo, mas começamos a discutir a possibilidade de a minha amiga vir pra cá comigo e nisso perdemos o segundo trem. Uma hora depois, pedimos outro Uber e advinha? Ele não chegou a tempo também!

Depois de três tentativas fracassadas conseguimos finalmente pegar o trem, fomos até a Penn Station, e de lá pegamos o trem pra próxima estação, pegamos um que saia antes do horário pra não correr o risco de atrasar, e graças a Deus fizemos isso, porque ele demorou cinco minutos pra sair e se o que tínhamos que pegar também fez isso, nunca chegaríamos a tempo de pegar o próximo trem.

Mas conseguimos que alívio, hora certa, plataforma certa, o trem está vindo. A gente entra, senta, o trem começa a andar e na primeira parada muita gente desce. O cara que recolhe os tickets grita mais uma vez, última parada!

Hã? Como asssim? Eu só teria como chegar no meu destino daqui há uma hora e meia!

Meu, quis me matar quando ele disse mais uma vez que aquela era a última estação e eu olhei o visor, pegamos a direção oposta, não dava mais tempo de voltar pra última estação pois o trem que precisava já tinha partido, e o próximo só saia dali uma hora e meia!

É engraçado parar pra pensar nessas coisas, quando eu saí do interior e fui morar em São Paulo, morria de medo de não saber me locomover pela cidade, de não aprender a usar o transporte público e no fim tirei de letra, mas antes de vir pra cá, não cheguei nem de longe a pensar que passaria por problemas assim!

A gente se ilude, a gente aprende, a gente cresce. Agora eu sei que a plataforma que vai pra minha cidade também passa um trem pro lado oposto cinco minutos antes 👍

Anúncios