ARQUITETURA: O COMEÇO!

    Chapecoense e Catarinense, 22 anos, libriana. Me chamo Regiane Santos, faço faculdade de Arquitetura e Urbanismo na cidade de Chapecó-SC, estou no sétimo período de dez, entrei em 2014 e estaria me formando em 2019, mas como todo bom brasileiro, aconteceu imprevisto, choros e desesperos, coisas deram errado… Mas no final posso afirmar que sou completamente apaixonada pelo meu curso, meus olhos brilham a cada novo projeto, meu coração dispara quando ele é aprovado pelos professores. Quanto aos aos meus pais o projeto é bonito e quanto a mim (parte mais importante): eu me apaixonei.

    Hoje é nossa primeira quinta feira juntos, e a partir de hoje todas as quintas vamos estar juntinhas(os), conversando sobre tudo.

    Hoje particularmente venho me apresentar e contar um pouco sobre a minha futura profissão e explicar como agir diante dos perrengues e desesperos hehe…

     A arquitetura é complexa, pelo menos na faculdade que frequento, mas não é aquele bicho de sete cabeças nas quais falam que não dormimos, não temos vida, sou prova viva que isso é mito. O fato é que a arquitetura nos requer muita concentração, amor e atenção para ser entendida, precisa da nossa máxima devoção para que tudo dê certo, é uma responsabilidade muito grande, mas tudo com amor tudo fica melhor.

     Vocês já devem ter ouvido aquela frase “ ‘Escolha um trabalho que  ama e  nunca terá que trabalhar um dia sequer na vida’ – Confúcio”, o mesmo se encaixa para o estudo, escolha aquilo que façam teus olhos brilhar, teu coração se encher de amor e ai sim você vai saber se é isso que você realmente quer fazer.

      Não é fácil  sair da escola e ir direto pra faculdade, ainda somos muito novos, queremos outras coisas para vida, queremos descansar e dar um tempo, nos divertir… Pra muitos é realmente muito difícil decidir o que cursar, fazer o vestibular atrás de vestibular, passar e dar entrada em um curso, mas se querem um conselho: pesquisem! O ensino médio é uma ótima época para procurar e descobrir com o que se identifica, aprender sobre as áreas que te enchem de amor, e, talvez, poder escolher algo que te conquiste, as chances de se arrepender diminuem com certeza.

       Eu, particularmente não me arrependi, amo o que faço, e sei que quando sair da faculdade vai ser bom, não vai ser fácil, mas vai ser bom. Posso ter perrengue, posso querer chorar,  querer desistir, mas não vou poeque já cheguei até aqui, perrengue tem em todo lugar, em qualquer profissão, nada que em fácil é recompensador, então não desista, se sabe que ama uma coisa, corra atrás, procure, pesquise mais sobre e manda ver. Se der errado pode chorar, espernear, gritar ao mundo que não quer, mas após 30 minutos você estará sorrindo porque aquilo é seu, é aquilo que você ama, e é isso é a parte boa de tudo, é não desistir, por que você consegue.

        Lembro-me do primeiro dia na faculdade, coração acelerado, dia frio e eu muito ansiosa, confesso que quando cheguei até a sala e vi todas aquelas pessoas perdidas assim como eu, me bateu um grande desespero, me sentia vulnerável e não sabia o que me esperava. No decorrer das semanas as coisas foram piorando, meu desespero aumentando e eu surtando, a primeira maquete foi uma fraude, e o primeiro projeto então, eu tinha vontade de abandonar tudo e ir vender missanga na praia, porque era mais fácil, ninguém me julgaria e eu de brinde ia estar em uma vida boa na beira do mar…  Mas como toda loucura, passou. Passou e eu me acalmei, coloquei meus objetivos a frente, sofri e chorei, sentei na beira da cama milhões de vezes olhando pro rodapé do chão, e me perguntando porque escolhi a arquitetura (ela requer muito de mim, ela requer sabedoria e que eu achava não ter).  Me peguei surtando mais uma vez , e o motivo era pequeno e bobo, porque eu não conseguia cotar paredes, e não sabia o que eram pilotis, e na minha inocência esses meus pequenos erros iam me fazer uma pessoa fracassada, não entendia que pra aprender eu precisava passar por isso, pra ser uma boa profissional eu precisava batalhar. A partir do momento que coloquei na cabeça que eu precisava ser forte, adulta e louca, eu consegui, consegui entregar o primeiro projeto, fui super  bem e fiquei até emocionada no final, e agora eu lido tão bem com meu desespero repentino que quando acontece eu simplesmente repito a mim mesma que preciso disso.. Saio e vou tomar um café e sigo a vida, porque simplesmente entendi que a vida é assim e ela não poder ser controlada.

       Então chorem o quanto quiser, mas não desistam!!

       E finalizo aqui uma pequena parte da minha experiência, perrengues e desespero, peço que me perdoem o mal explicado, e talvez as gírias, mas sou chapecoense e catarinense então sou do interior referente a cidade grande, e tenho sotaque de gaúchos…eeee espero estar com vocês todas as quintas!

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: